Nenhum resultado foi encontrado.
Confira os termos da sua busca e tente novamente.


Abaixo, alguns dos itens mais buscados:

Ops! Parece que algo saiu errado.
Ocorreu um erro ao fazer a busca.
Por favor, tente novamente em alguns instantes.
Mais buscados
Maestro Luiz de Godoy, um homem negro de barba, vestido com trajes de concerto e batuta na mão. Ao fundo é possível ver a plateia.

Voltar

"Cante ao Senhor" com o Coro da Osesp

Compartilhar
corpo artístico
corpo artístico
Luiz de Godoy
regente
Local: Sala São Paulo
Data: dom., 19 de maio de 2024
Horário: 18:00
Duração: min.
Preço: R$ 39,60 a R$ 39,60
Adicionar ao calendário

Programa

VICENTE LUSITANO Heu me, Domine [Ai de mim, Senhor] SIR WILLIAM HARRIS Faire is the Heaven [Justo é o Céu] ROXANNA PANUFNIK Missa de Westminster: Deus, Deus meus PIERRE DE LA RUE O Salutaris Hostia [Ó hóstia da salvação] VICENTE LUSITANO Regina Coeli [Rainha do Céu] NUNES GARCIA Christus factus est, CPM 193 [Ele foi ungido] JÓZEF SWIDER Da pacem Domine [Dê paz, ó Senhor] MENDELSSOHN-BARTHOLDY Três Motetos, Op. 69: 1. Nunc dimittis - Herr, nun lässest du [Senhor, agora permites] EURICO CARRAPATOSO Magnificat em talha dourada: Ó meu menino OSVALDO LACERDA Romaria CAMILLE VAN LUNEN O Mare Nostrum

Nascido em Mogi das Cruzes, o maestro Luiz de Godoy ocupou o posto de mestre-de-capela dos Meninos Cantores de Viena. Desde 2019, integra o quadro de maestros da Ópera Estatal de Hamburgo, colaborando com Kent Nagano, além de ser diretor artístico dos Meninos Cantores de Hamburgo.

O repertório, todo de inspiração religiosa, tem como destaque dois compositores negros, lusófonos: o português Vicente Lusitano, renascentista do século XVI, e o brasileiro José Maurício Nunes Garcia, nascido no século XVII. Há outras características em comum a unir esses dois homens: foram, teóricos musicais, e escreveram principalmente música sacra, já que eram padres católicos (Lusitano, mais tarde, converteu-se ao protestantismo).

Além de ouvir peças dos dois compositores — a obra de Vicente Lusitano só foi redescoberta recentemente, durante a pandemia —, o programa traz outro autor renascentista (o franco-flamengo Pierre de la Rue), um compositor do século XIX (Mendelssohn), três autores do século XX (o britânico William Harris, o polonês Joséf Swider e o brasileiro Osvaldo Lacerda, numa parceria com Carlos Drummond de Andrade) e os compositores contemporâneos Roxanna Panufnik, Eurico Carrapatoso e Camille van Lunen.