Nenhum resultado foi encontrado.
Confira os termos da sua busca e tente novamente.


Abaixo, alguns dos itens mais buscados:

Ops! Parece que algo saiu errado.
Ocorreu um erro ao fazer a busca.
Por favor, tente novamente em alguns instantes.
Mais buscados

Integrante da Osesp desde: julho de 2001. Obra favorita: Paixão Segundo São Mateus BWV 244, de J. S. Bach.

Natural de Osasco, em São Paulo, a soprano Regiane Martinez estudou canto lírico com a mezzo soprano Lenice Prioli, antes de ingressar na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), onde realizou o bacharelado em música com habilitação em canto lírico na classe de Martha Herr, soprano estado-unidense radicada no Brasil. Em 2023, concluiu a formação integrada em voz artística (FIV) do Centro de Estudos da Voz e, em 2016, morou nos Estados Unidos, onde fez o curso de técnica Alexander para músicos, na Julliard School, e participou do Baroque Opera Workshop, no Queens College, da City University of New York (CUNY). Nesse período, integrou diversos conjuntos vocais nova-iorquinos, como o Essential Voices of USA, o St. Ignatius of Loyola Choir, o New York Continuo Collective e o Manhattan Chorale. Com Nicolau de Figueiredo, cravista brasileiro e professor do Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris, fez a Oficina de Música Antiga da Escola Municipal de Música de São Paulo e aulas particulares de 2014 a 2015. Com Julliane Baird, nos Estados Unidos, trabalhou no Baroque Workshop do Queens College e realizou aulas particulares. Atualmente, recebe orientação vocal do barítono Francisco Campos e dedica-se especialmente à música antiga.

Em parceria com o cravista Delphim Rezende Porto, mantém a São Paulo Schola Cantorum, projeto voltado para a performance e o ensino da música litúrgica, onde é professora de técnica vocal para canto sacro e onde, de 1997 a 2005, atuou como preparadora vocal do Voz Ativa Madrigal. Com o grupo gravou os CDs Dominus: Música Sacra Brasileira dos Séculos XX e XXI (Produção independente - 2007), Natal e Paz – Canções Natalinas Tradicionais em Português (Lua Discos, 2001), e Spirituals: Negro Spirituals (Produção independente - 2009). De 2007 a 2015, regeu o Coral Aúthos Pagano, do Centro Cultural e de Estudos Superiores Aúthos Pagano (CCESAP) e, desde 2008, é membro da Capela Ultramarina, grupo voltado para a difusão da música do período das grandes navegações através de interpretações historicamente informadas. Com o Capela, foi a solista soprano do CD A Cantar uma Cantiga: Cantigas e Vilancetes Portugueses do Século XVI, do Cancioneiro de Paris (Independente, 2019). Como solista, esteve à frente da Orquestra Sinfônica Municipal de Jundiaí, sob a regência de Claudia Feres, e da Orquestra Sinfônica de São José dos Campos (OSSJC), sob a regência de William Coelho.

Além dos vários CDs de música sacra ou antiga gravados, participou de diversos álbuns do Coro da Osesp, como Canções do Brasil (Biscoito Fino, 2010) e Aylton Escobar: Obras para Coro (Selo Digital Osesp, 2013), ambos regidos por Naomi Munakata, José Maurício 250 (Selo Digital Osesp, 2017), sob a direção de Valentina Peleggi e Carlos Alberto Figueiredo, Heitor Villa-Lobos: Choral Transcriptions (Naxos, 2019), sob a batuta de Valentina Peleggi, e Rossini: Petite Messe Solenelle (Selo Digital Osesp, 2023), sob direção de Thomas Blunt.

Dos muitos momentos vividos com o Coro da Osesp, lembra-se com muita emoção dos concertos de estreia da Osesp no Carnegie Hall, em 14 e 15 de outubro de 2022, quando, sob a regência de Marin Alsop, apresentaram um repertório variado e o espetáculo Floresta Villa-Lobos, que combina 75 minutos ininterruptos de música com a projeção de um vídeo imersivo retratando as riquezas da flora e da fauna brasileiras.

Outros músicos