Nenhum resultado foi encontrado.
Confira os termos da sua busca e tente novamente.


Abaixo, alguns dos itens mais buscados:

Ops! Parece que algo saiu errado.
Ocorreu um erro ao fazer a busca.
Por favor, tente novamente em alguns instantes.
Mais buscados

Integrante da Osesp desde: 03 de março de 2005.

Obra favorita: Sua obra favorita é o Carmina Burana do compositor Carl Off.

Natural de São Bernardo do Campo, em São Paulo, a soprano Flavia Kele de Sousa iniciou seus estudos de canto lírico com Eloísa Falcomer, em 1997. Entre 1999 e 2000, recebeu orientação vocal de Ligia Lobosco, na Casa da Música, em São Paulo, antes de transferir-se para as classes de canto do baixo-barítono Pepes do Vale, em 2001, e da soprano Elenis Guimarães, em 2003. No ano seguinte, matriculou-se na EMESP Tom Jobim, onde, em 2006, concluiu seus estudos de canto com o barítono Francisco Campos.

Deixou o Madrigal Umesp, grupo coral da Universidade Metodista de São Paulo do qual foi membro entre 1995 e 1999, para integrar o Coral Jovem do Estado de São Paulo, onde atuou como bolsista até 2004. Com o grupo, se apresentou nas principais salas de concerto da capital paulista e solou a Missa da Coroação K. 317, de W. A. Mozart, o Gloria RV 589, de Vivaldi, e a Sinfonia nº 9 em Ré Menor Op. 125, de L. V. Beethoven.

Em 2003, atuou como monitora de naipe junto à UNIOPERA — Associação Coral da Cidade de São Paulo e Orquestra Acadêmica de São Paulo, com a qual solou as Cantatas BWV 61 e 100, de J. S. Bach, o Stabat Mater P. 77, de G. B. Pergolesi, o Salmo 115 Op. 31, de Felix Mendelssohn, e o Réquiem em Ré Menor K. 626, de Mozart. Flavia teve papel de destaque em diversas outras ocasiões, como quando solou novamente a Nona Sinfonia, de Beethoven, com a Orquestra Filarmônica de Rio Claro.

Detentora do 1° lugar no Concurso de Música de Câmara Tom Jobim de 2005, participou do 34º Festival de Inverno de Campos do Jordão, em 2003, na classe de coro de câmara com o Maestro Erik Westberg, e do Festival Música nas Montanhas, na classe de Francisco Campos, entre 2006 e 2008. Guarda de seu primeiro ano junto ao grupo a memória afetiva de uma apresentação do oratório Elias Op. 70, de Mendelssohn, sob a batuta de John Neschling.

Outros músicos