Nenhum resultado foi encontrado.
Confira os termos da sua busca e tente novamente.


Abaixo, alguns dos itens mais buscados:

Ops! Parece que algo saiu errado.
Ocorreu um erro ao fazer a busca.
Por favor, tente novamente em alguns instantes.
Mais buscados
Rosto de Paolo Bortolameolli, homem branco de cabelos lisos castanhos. Ele é o regente do programa.

Voltar

Temporada Osesp: Paolo Bortolameolli

Compartilhar
corpo artístico
Paolo Bortolameolli
regente

Programa

ANTONÍN DVORÁK Sinfonia nº 7 em ré menor, Op. 70 GERSHWIN Abertura Cubana GABRIELA HOMINUM ORTIZ Suíte para orquestra MIGUEL FARÍAS Estallido LORENZO FERNANDEZ Reisado do Pastoreio: Batuque

Atualmente maestro associado da Filarmônica de Los Angeles, o chileno-italiano Paolo Bortolameolli tem uma agenda de concertos intensa entre as Américas, a Ásia e a Europa. Além do cargo nos EUA, ele é também diretor musical da Orquestra Sinfônica Nacional Esperanza Azteca (México) e principal maestro convidado da Filarmônica de Santiago, no Chile.

Entre as peças do programa está a Sinfonia nº 7 de Dvorák. A obra foi composta por encomenda da Royal Philharmonic Society e estreou em abril de 1885, em Londres, sob a regência do compositor. O sucesso absoluto de público e crítica marcou a consolidação da carreira internacional de Dvorák. Mais dramática e austera dentre suas nove sinfonias, ela demonstra o domínio da orquestração e da forma clássica pelo compositor checo, aliadas a uma música intensamente expressiva e cheia de contrastes, que o coloca ao lado dos maiores sinfonistas pós-Beethoven, como Schubert e Brahms.