Nenhum resultado foi encontrado.
Confira os termos da sua busca e tente novamente.


Abaixo, alguns dos itens mais buscados:

Ops! Parece que algo saiu errado.
Ocorreu um erro ao fazer a busca.
Por favor, tente novamente em alguns instantes.
Mais buscados
Pacho Flores é um homem branco, de cabelos pretos. Ele está sentado em um sofá vermelho e segura seu trompete enquanto sorri.

Voltar

Temporada Osesp: Giancarlo Guerrero e Pacho Flores

Compartilhar
Giancarlo Guerrero
regente
corpo artístico
Pacho Flores
trompetista
Local: Sala São Paulo
Data: qui., 1 de agosto de 2024
Horário: 20:30
Duração: 73 min.
Preço: R$ 39,60 a R$ 271,00
Adicionar ao calendário

Programa

ORQUESTRA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO GIANCARLO GUERRERO regente PACHO FLORES trompete

ADOLPHUS HAILSTORK An American port of call [Um porto de escala americano] ARTURO MÁRQUEZ Concierto de otoño AARON COPLAND Sinfonia nº 3

O maestro costa-riquenho Giancarlo Guerrero segue com a Osesp mais uma semana, agora para interpretar compositores do continente americano. Todos eles, no entanto, estudaram em Paris com a mais importante educadora musical do século XX, Nadia Boulanger. Será interessante observar como, a despeito da mestra, cada um encontrou seu próprio caminho.

Adolphus Hailstork nasceu em 1941. De ascendência afro-americana, nativa americana e europeia, suas obras misturam infl uências dessas tradições. Hailstork escreveu An American port of call em 1985 para a Sinfônica da Virgínia, procurando “capturar a energia estridente [...] de uma movimentada cidade portuária americana”. Sua inspiração foi o grande porto de Norfolk, Virgínia, onde morou.

Arturo Márquez, importante compositor mexicano de nossos dias, de quem a Osesp interpretou a Sinfonia Impossible em 2023, volta à programação da Orquestra, agora com o Concierto de otoño — escrita para o trompetista venezuelano Pacho Flores, que a estreou em setembro de 2018 com a Sinfônica Nacional do México. É o próprio Flores que estará em São Paulo fazendo a primeira audição da obra no Brasil. Além de Nadia Boulanger, Márquez também estudou com Copland, um dos mais importantes compositores estadunidenses do século XX, e a quem é dedicada a segunda parte do programa. A Sinfonia nº 3 foi a última escrita por Copland, entre 1944 e 1946, a partir de uma encomenda da Fundação Koussevitzky. Seu quarto e último movimento é introduzido pela peça mais famosa do norte-americano: a Fanfarra para o homem comum.