Nenhum resultado foi encontrado.
Confira os termos da sua busca e tente novamente.


Abaixo, alguns dos itens mais buscados:

Ops! Parece que algo saiu errado.
Ocorreu um erro ao fazer a busca.
Por favor, tente novamente em alguns instantes.
Mais buscados
16 bailarinas vestindo roupas brancas estão enfileiradas no palco.

Voltar

Orquestra Acadêmica e São Paulo Cia. de Dança

Compartilhar
Orquestra Acadêmica da Osesp
corpo artístico
São Paulo Cia. de Dança

Programa

FRÉDÉRIC CHOPIN Seleção de Noturnos, Prelúdio, Valsas e Mazurkas CAMILLE SAINT-SAËNS Carnaval dos Animais: O Cisne FRANCISCO MIGNONE Valsas de Esquina [Orquestração de Rubens Ricciardi]

Depois de receber o Grupo Corpo no primeiro semestre, agora é a vez da São Paulo Cia. de Dança subir ao palco da Sala São Paulo, sendo acompanhada pela Orquestra Acadêmica da Osesp em três coreografias.

A Seleção de Noturnos, Prelúdio, Valsas e Mazurkas de Chopin, realizada em 1909 pelo lendário bailarino, coreógrafo e professor Mikhail Fokine, serve de base para a remontagem de Ana Botafogo, Les Sylphides (Chopiniana). Evocando a era romântica do balé, o espetáculo retrata o encantamento de um poeta sonhador pela dança de sílfides e seres mágicos que habitam as florestas: sob o luar, estes materializam o ato poético em seus movimentos e desenham o palco com arabescos.

De 2019 é a coreografia A morte do cisne, de Lars Van Cauwenbergh, igualmente inspirada na criação de Fokine para Anna Pavlova, em 1907. A partir da célebre peça O Cisne, de Camille Saint-Saëns, o balé é um solo que dialoga com as sonoridades da harpa e do violoncelo, inspirado no poema de Alfred Tennyson [1809-92] e nos movimentos dos cisnes em seus últimos instantes de vida.

As Valsas de Esquina de Francisco Mignone, em orquestração de Rubens Ricciardi, são a trilha sonora de Madrugada, coreografia de Antonio Gomes que propõe um baile atemporal à luz do luar, no qual a ingenuidade e a nostalgia se encontram com a jovialidade e o romantismo, captando o clima efêmero e singelo das serenatas.