Nenhum resultado foi encontrado.
Confira os termos da sua busca e tente novamente.


Abaixo, alguns dos itens mais buscados:

Ops! Parece que algo saiu errado.
Ocorreu um erro ao fazer a busca.
Por favor, tente novamente em alguns instantes.
Mais buscados
Daniel Lozakovich, homem jovem branco, com cabelos castanhos e sem barba. Ele está apoiado na parede segurando seu instrumento, um violino.

Voltar

Duas vezes Brahms

Compartilhar
corpo artístico
Diretor Musical e Regente Titular
Daniel Lozakovich
violino
Local: Sala São Paulo
Data: qui., 20 de junho de 2024
Horário: 20:30
Duração: 75 min.
Preço: R$ 39,60 a R$ 271,00
Adicionar ao calendário

Programa

KAIJA SAARIAHO Asteroid 4179: Toutatis JOHANNES BRAHMS Sinfonia nº 3 em Fá maior, Op. 90 JOHANNES BRAHMS Concerto para violino em Ré maior, Op. 77

Falecida recentemente, a finlandesa Kaija Saariaho era uma das mais importantes criadoras de nosso tempo. Asteroide 4179: Toutatis é uma obra de 2005 de inspiração celeste. Bulboso e irregular, Toutatis tem o nome de um deus celta e é o asteroide cuja órbita passa mais próxima da Terra. Sua forma incomum e sua rotação complexa — diferentes áreas giram em velocidades diferentes — foram a inspiração da compositora para escrever a pequena e impactante peça que abre o programa. Depois dela, voltamos ao universo de Johannes Brahms, com duas obras do mestre nascido em Hamburgo.

Após escrever as duas primeiras sinfonias durante um curto intervalo de tempo, Brahms se dedicou não apenas ao segundo concerto para piano, mas também a seu Concerto para violino, que concluiu em 1878 e dedicou a seu grande amigo Joseph Joachim. A obra, um dos mais importantes concertos para violino do repertório, será interpretada pelo jovem violinista sueco Daniel Lozakovich, prodígio de seu instrumento e que fez sua estreia com a Osesp em 2022.

Poucos anos depois, em 1881, Brahms terminou a Sinfonia nº 3, que foi chamada por Hans Richter, maestro que a estreou em 1883 junto à Filarmônica de Viena, como a Eroica de Brahms, em mais uma aproximação com Beethoven. Mais curta dentre as quatro sinfonias do compositor, essa obra apresenta diversas particularidades para os ouvintes, mesmo em uma primeira audição, como o fato de que todos os movimentos terminam em dinâmicas suaves ou de que a partitura é recheada de melodias memoráveis.