Nenhum resultado foi encontrado.
Confira os termos da sua busca e tente novamente.


Abaixo, alguns dos itens mais buscados:

Ops! Parece que algo saiu errado.
Ocorreu um erro ao fazer a busca.
Por favor, tente novamente em alguns instantes.
Mais buscados
O músico Wu Wei segura o sheng, seu instrumento. A imagem é em preto e branco.

Voltar

Wu Wei, o gênio do sheng

Compartilhar
corpo artístico
Diretor Musical e Regente Titular
Wu Wei
sheng
Local: Sala São Paulo
Data: qui., 14 de março de 2024
Horário: 20:30
Duração: 73 min.
Preço: R$ 39,60 a R$ 271,00
Adicionar ao calendário

Programa

JESSIE MONTGOMERY Hymn for Everyone [Hino para Todos] UNSUK CHIN Concerto para sheng - Šu JOHANNES BRAHMS Sinfonia nº 2 em Ré maior, Op. 73

Bis da quinta-feira: Forest of Bamboos, de Wu Wei. Bis da sexta-feira: Dragon Dance, de Wu Wei. Bis do sábado: Jin Diao, Traditional, arranjo de Yan Haideng.

Jessie Montgomery é uma importante compositora, violinista e educadora norte-americana. Suas obras entrelaçam música clássica com elementos de improvisação, poesia e consciência social, fazendo dela uma intérprete perspicaz de nossos dias. É com Montgomery que a Osesp, sob regência do maestro Thierry Fischer, inicia este programa. Encomendado por Riccardo Muti e gravado pela Sinfônica de Chicago, Hymn for Everyone foi escrito em 2021 a partir de uma reflexão sobre os desafios pessoais e coletivos que a pandemia de Covid-19 desencadeou no mundo.

Seguimos com a arte rara de Wu Wei, que toca sheng, instrumento chinês com mais de três mil anos de idade — trata-se de um órgão de boca, formado por um feixe de juncos de bambu e envolto em metal. A partir do trabalho do músico chinês, diversos compositores escreveram concertos para sheng e orquestra. Este é o caso da sul-coreana Unsuk Chin que, em 2009, compôs Šu para Wu Wei — (o título vem da mitologia egípcia, na qual ele representa um símbolo do ar).

O programa se completa com a Sinfonia nº 2 de Johannes Brahms, compositor que é um dos destaques da Temporada 2024. A Segunda é uma das mais alegres dentre as obras maduras de Brahms, e era a preferida do compositor entre as quatro que compôs. Se a Sinfonia nº 1, obra longamente gestada, é indiscutivelmente pós-beethoveniana, a nº 2, escrita de uma só vez durante as férias de verão de 1877, tem textura mais fina e mozartiana.

Baixar notas do programa