Nenhum resultado foi encontrado.
Confira os termos da sua busca e tente novamente.


Abaixo, alguns dos itens mais buscados:

Ops! Parece que algo saiu errado.
Ocorreu um erro ao fazer a busca.
Por favor, tente novamente em alguns instantes.
Mais buscados
Fundo rosa com um degradê amarelo no centro, remetendo ao Sol. No lado esquerdo está escrito "Osesp Duas e Trinta".

Voltar

Osesp duas e trinta: Alexander Shelley e Cristian Budu

Compartilhar
corpo artístico
Alexander Shelley
Regente
Cristian Budu
piano
Local: Sala São Paulo
Transmissão às 20h30:
Data: sex., 22 de março de 2024
Horário: 14:30
Duração: 71 min.
Preço: R$ 39,60 a R$ 39,60
Adicionar ao calendário

Programa

SILVIA BERG Malabares SERGEI PROKOFIEV Concerto para piano nº 1 em Ré bemol maior, Op. 10 IGOR STRAVINSKY O Pássaro de Fogo – Balé Completo

Séculos XX e XXI num diálogo de muitas cores – é o que promete este programa. Começamos com Malabares, da paulista Silvia Berg. Depois de viver por mais de 20 anos em Copenhagen, atuando como professora, regente e compositora, Silvia retornou ao Brasil como docente do Departamento de Música da USP em Ribeirão Preto. Malabares foi escrita em 2009 por encomenda da Sinfônica de Ribeirão Preto. A peça é inspirada no lendário palhaço Piolin, nascido nos arredores dessa cidade do interior de São Paulo, e homenageia a vida circense.

O programa segue com Sergei Prokofiev e Igor Stravinsky, compositores russos da primeira metade do século XX que, a partir da década de 1910, atingiram celebridade ao se fixarem em Paris. Em 1911, ainda vivendo na Rússia, Prokofiev escreveu seu Concerto para piano nº 1, altamente virtuosístico e o mais curto dos cinco que compôs. Cristian Budu, exímio pianista brasileiro, apontado por Nelson Freire como seu sucessor, é quem interpreta a obra. Quase ao mesmo tempo que seu conterrâneo, Stravinsky, já estabelecido em Paris, compunha em 1910 uma obra que o tornaria célebre do dia para a noite: o balé O Pássaro de Fogo, baseado numa fábula de seu país de origem e sua primeira colaboração com a companhia dos Balés Russos, que fazia furor em Paris.

À frente do programa está o premiado maestro inglês Alexander Shelley, diretor musical da Orquestra do National Arts Center em Ottawa, Canadá, além de regente associado da Royal Philharmonic Orchestra e diretor artístico e musical da Filarmônica de Nápoles.